O QUE JESUS FALOU EM MATEUS 24 1-35?

Há quem diga que seja a segunda vinda de Jesus Cristo, para arrebata a Igreja levando-a para o céu o lugar onde Jesus vive.
E não tem nada haver, o que Jesus falou em Mt24: 1-35 com a sua vinda física.
A vinda dele é verdadeira, e vem reinar no trono de Davi, com toda certeza. Mas não para leva igreja para lugar nenhum.

Observe Agora em Detalhes o que Ele Falou
Mt. 24: 1-2 “E, quando Jesus ia saindo do templo, aproximaram-se dele seus discípulos para lhe mostrar a estrutura do templo. Jesus, porém lhes disse:     Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada”.
- Jesus sabia o que estava a acontecer com Jerusalém e o templo.
- Porque já estava profetizado pelo profeta Isaías, em Is6: 9-13.
Mt24: 3 “E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegando-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da sua vinda e do fim do mundo”?
- A pergunta que eles fizeram para Jesus, não tinha nenhum sentido, só fizeram esta pergunta muito infantil, por que a história do fim do mundo, vinha dos ensinamentos de Babilônia, há muitos séculos atrás antes de Cristo.
Jesus vendo que aquela pergunta era tão infantil; que disse para eles.
Acautelai-vos, que ninguém vos engane, porque muitos virão em meu nome dizendo: Eu sou Cristo; e enganarão a muitos. Mt24: 4-5.
- Dá-se ao entender que Jesus temeu que eles pudessem ser enganados também.
- Jesus sabia que eles não tinham conhecimento das Escrituras.
- Não conhecendo as Escrituras e nem o poder de Deus erra (Mt22: 29).
O profeta Daniel em Dn9: 24-27 já tinha profetizado há muitos séculos. Até mesmo  os líderes religiosos daquela época, mesmo com as Escrituras nas mãos não sabiam, porque eles vinham enganando o povo há muitos tempo, nem mesmo esta profecia de Daniel, eles não tinham conhecimentos.
Foi por isso que Jesus instruiu os discípulos para eles não serem enganados também, como um profeta de Deus, que foi enganado pelo um profeta falso, confira em I Rs13: 1-19.
Foi por isso também que Jesus disse para os seus discípulos, Acautelai-vos,                que ninguém vos engane; porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
- Eles não tinham nenhum conhecimento das Escrituras.


Foi por isso então que Jesus disse para eles, “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que tudo isso aconteça,   mas ainda não é o fim”.
- Se Jesus não tivesse dado esta instrução para eles, portanto tudo quanto acontecesse no mundo, eles pensariam que era o fim, por causa do ensinamento de Babilônia.
- Eles não conheciam o que estava previsto para o futuro deste planeta, que era uma final e grande devastação; ou juízo final.
- O fim a que se referia, era o fim do sistema material para o espiritual.
- Era uma mudança na verdade e não fim do planeta.
Mt24: 7-8 Jesus disse que “Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas essas coisas são o princípio das dores”.
- Isso que Jesus falou para eles, sempre acontece não era nenhuma novidade.
- Nestes versos referia-se ao fim do sistema que acontece entre as eternidades
Mas quando Ele falou para seus discípulos dizendo: “Então, vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome. Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão”. Mt24: 9-10.
- Isto tudo que aconteceu com eles, se cumprindo o que Jesus falou.
Agora quando Ele disse em Mt24: 11 que:
Iam surgir muitos falsos profetas e iam enganar a muitos.
- Jesus estava falando para os nossos dias.
- Hoje é que se vê o mundo enchendo-se de religiões e todas dizendo que Jesus vem a qualquer momento, para arrebatá-los para o céu, sem saber o que       é céu.
- Com certeza são os falsos profetas, que se referia Jesus naquela época.
- Nos dias de Jesus não surgiu nenhum falso profeta.
Foi por isso que não existia falso profeta para enganar ninguém, estes falsos profetas que Jesus falou foi para o futuro, como vemos hoje.
Os falsos profetas só hoje surgiram, quando Jesus veio, o povo de Deus estava sujeito ao império de Roma. E a religião era romana. Não tinha profeta falso para enganar ninguém, porque a religião romana era oficializada, não era aceitável outra.                 Todos pregando um evangelho comercial de prosperidade material, sem renunciar nada como Jesus falando em Lc14: 33
Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”.
Hoje uma pessoa que tem coragem de examinar nas Escrituras, observando o que Jesus ensinou e comparar com o que os homens estão ensinando, vê muitas diferenças. Jesus veio pregando o reino de Deus, Ele nunca disse que a qualquer momento iria arrebata ninguém para o céu, e o mundo enganado sem terem uma informação que possa tirá-lo dessa escuridão.
Observem bem agora, os líderes religiosos vivem comprando belos carros,                  e apartamentos até mesmas boas fazendas, e ainda acham pouco se mete na política   com a ambição de ser um deputado, senador, prefeito, vereador, governador e até mesmo presidente, além de tudo isso, obrigam os pobres miseráveis pagarem dez por cento dos seus poucos rendimentos, e dizendo para eles, se eles não pagarem SÃO LADRÔES!...    E Ladrões não vão para o céu.
Será que existe, um atrevido que diga, este foi o ensinamento de Jesus?

Vamos Saber o Verdadeiro Caminho do Evangelho de Cristo.
Em Lc14: 33. Jesus disse “Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”.
Veja o verso 26-27 do mesmo cap. Jesus disse “Se alguém vier a mim e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não levar a sua cruz e não vier após mim não pode ser meu discípulo”.
Cl2: 20-23 “Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toqueis, não proveis, não manuseeis? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrina dos homens; as quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum, senão para a satisfação da carne”.
Cl3: 1-3 Paulo disse, “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus”.
- Este é o verdadeiro caminho do evangelho de Cristo.
- E não o evangelho misturado com políticas e outros problemas do mundo.
Veja IIPe2: 1-19
- Você verá o que o apóstolo São Pedro falando a cerca do evangelho mundano.
Nos versos de 1-3 dizem “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesma repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o seu caminho da verdade; e por avareza, farão de vós negocio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita”.
No verso 19 diz: que eles prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servos da corrupção.
Ap2: 2 Diz: e puseste à prova os que dizem ser apóstolos e o não são, e tu os achaste mentirosos.
Obs.:
Só se conhecem os falsos apóstolos, se você tiver o conhecimento das Escrituras através das promessas de Deus. Os falsos não aceitam as promessas que Deus fez a Noé, e a Abraão, e a Isaque e a Jacó. Os falsos apóstolos desta época são os falsos profetas do passado,                e como podemos conhecê-los? É muito fácil. Os falsos apóstolos vêm pregando prosperidade, só procurando as coisas materiais para se beneficiar com elas. Como São Paulo falou                em Fp3: 19.
Ele disse “O fim deles é a perdição; o deus deles é o ventre e a glória deles é para confusão deles mesmos, que só pensam nas coisas terrenas”.
Outra parte para você conhecer estes falsos, é nos dízimos. Os dízimos no velho testamento era um seguro de vida, para o povo pobre e não era em dinheiro, era tirado das colheitas, era para doar aos necessitados como para os órfãos e viúvas, os levitas e até os estrangeiros que tivessem necessitados iam procura refúgio no templo de Deus.
Foi por isso que Davi falou no Sl37: 25 ele disse “Fui moço e agora sou velho, mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão”.
E no Sl65: 4 diz: “Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes e fazes chegar a ti, para que habite em teus átrios; nós seremos satisfeitos da bondade da tua casa e do teu santo templo”.
- Veja que no templo tinha a palavra e na casa o alimento.
- Então os dízimos eram levados para a casa do tesouro e não para o templo.
- Se no templo que você congrega não tem a casa do tesouro, você está sendo roubado.
Vamos saber que Existem dois Evangelhos:
_ O evangelho de Jesus.
_ E o outro o de Martinho Lutero.
Martim Lutero trousse seu evangelho misturado com as doutrina de Roma, e o evangelho       de Jesus vêm com as promessas que Deus fez:
Ao Noé em Gn9: 11-12;
E a Abraão em Gn13: 14-17;
A Isaque em Gn26: 2-5;
Jacó em Gn28: 13-15;
Moisés em Êx32: 13; e Dt4: 40;
E em II Sm23: 2-6.
- Então este é o evangelho de Jesus que veio por meio destas e outras promessas.
Já o evangelho que veio por Matinho Lutero, veio anunciando arrebatamento para o céu, dizendo que lá no céu não existe sexo e nem se come e nem se bebe, todos são iguais, não existe homem e nem mulher. Aterrorizam as pessoas com um diabo, e com um inferno de fogo para sempre. E falando em lúcifer dizendo que foi um anjo que se rebelou no céu, e foi lançado aqui na terra e vive tentando os pecadores, e pregando prosperidade material.
Foi o que o anjo disse a João em Ap2: 2, que muitos dizem serem apóstolos, e não são, mas os achaste mentirosos.
- Estes não fazem sacrifícios, eles são sacrificados.
- Os pastores deles os obrigam pagarem dízimos, e as ofertas.
- Veja o tanto que eles ensinam, começa de mil reais e terminam e cinqüenta e obrigando os tolos fazerem uma corrente de oração de sete dias, só para acostumar eles nas Igrejas como um escravo.
Em Mq3: 11 dizem que “Os seus chefes dão as sentenças por presentes, e os seus sacerdotes ensinam por interesse, e os seus profetas advinham por dinheiro; e ainda se encostam ao SENHOR, dizendo: não está o SENHOR no meio de nós? Nenhum mal nos sobrevirá”.
Miquéias falou, dão sentenças por presentes, quer dizem: o presente deles                  (seus adeptos) é obrigá-los a fazer corrente de oração todas as sextas-feiras. Invocam mais      os espíritos de mentiras, para quebrar a resistências deles, dizendo o espírito santo está revelando, os problemas de cada um deles, e o povo fica atemorizado. Aí é quando eles dão             o golpe, dizendo: aqui tem uma pessoa que está com um grande problema, precisa de dá uma oferta de libertação. E dizem mais: as pessoas que tem grandes problemas são muitas vezes, pessoas quem não paga seus dízimos; e assim oprimem estas pessoas por dinheiro, ameaçando castigo para elas, se não pagar. Os pobres não sabem que aquele espírito que está neles           (o qual eles dizem que é o espírito santo), é o mesmo espírito que usava Saul quando ele profetizava no meio da casa: I Sm18: 10.
Existe no meio deles oração de mil reais, vão baixando até de cinco reais, foi o que       o apóstolo São Pedro falou dizendo: “e, por avareza, farão de vós negocio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita” (II Pe2: 3).
São Paulo fez várias advertências para os crentes da Igreja de Colossenses , ele disse “a quem anunciamos, admoestando a todo homem e ensinando a todo homem em toda         a sabedoria: para que apresentemos todo homem perfeito em Jesus Cristo”.
- O evangelho que Jesus trouxe para este mundo foi o evangelho verdadeiro.
- Pelo qual o mundo vai ser julgado.
Foi por isso que Jesus disse: “E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo,       em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim” Mt24: 14.
- Quando Jesus afirmou dizendo este evangelho do reino era por causa do falso que ia se levantar no mundo.
- Porque já existia um ensinamento falso no mundo.
- Os fariseus e os escribas. Tinham este ensinamento.
- Pois que já tinham herdado de Babilônia.
Em Mt24: 14. Jesus só falou assim “E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim”.
- Não era o fim do mundo, mas o fim do evangelho que Ele estava pregando.
- Por este evangelho foi julgados Judeus.
- Depois da destruição de Jerusalém ele se apagou.
- Depois deste acontecimento.
- Qual foi o evangelho que ficou sendo pregado no mundo.

O evangelho que Jesus pregou, já foi pregado a toda criatura.
Veja no dia de pentecostes. Este dia de pentecostes eram os dias das colheitas que     se dá o nome de primícias. Eram 50 dias de colheitas (Lv23: 16-17). Aqueles povos que iam        à Jerusalém, iam para comprar produtos, porque era de melhor qualidade, mas o dinheiro era depositado na casa do tesouro, para a necessidade do povo, foi por isso que em Jerusalém estava habitando Judeus, varões religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu.     Veja que todos aqueles religiosos, não conheciam o evangelho de Jesus, além deles todos os apóstolos estavam reunidos no mesmo lugar; “e, de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados e foram vistas por eles, por todos aqueles estrangeiros que eram religiosos, e foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, aí foi quando eles começaram falar em outras línguas de todo aqueles estrangeiros, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem”. (At2: 1-4).
Os apóstolos estavam dando a mensagem do evangelho pelo Espírito Santo,                   a todos aqueles estrangeiros que eram religiosos, mas não conheciam o evangelho de Jesus, eles ficaram admirados, porque eles viam que os apóstolos eram todos Galiléu e todos estavam falando na língua de cada um deles, na língua que eles eram nascidos (At2: 5-13). E Jesus sabia de tudo quanto ia acontecer com o evangelho, que Ele estava pregando, que ia ser apagado pelo o império romano.
Foi por isso que Ele apreçou para que os estrangeiros ouvissem a mensagem do evangelho pelo o Espírito Santo, E muitos dos que estavam ali, não entenderam.
Foi por isso também que eles diziam; estes homens estão cheios de mosto (vinho).
Aí foi quando Pedro repreendeu. Pondo-se em pé com os onzes, levantou a sua voz,                    e disse-lhes: varões Judeus, e escutai as minhas palavras. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo a terceira hora do dia. Mas isto é o que foi dito pelo    o profeta Joel e nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões,     e os vossos velhos sonharão sonhos; Discurso de Pedro At2: 14.
- Todos estes eventos que Deus estava revelando aos seus e as suas servas, era o que ia acontecer com aquela nação de Israel, que era a destruição de Jerusalém.
Deus já tinha falado pelo o profeta Amós também.
Ele disse “Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas”.
- Daquele dia em diante o povo santo começaram tendo revelações; e visões sobre      o que ia acontecer com o povo Judeu e principalmente com Jerusalém.
Voltando:
Foi por isso que o profeta Joel disse, e também do meu espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas, naqueles dias, e profetizarão.
- Aquelas profecias eram sobre o que ia acontecer ali.
Em At2: 19“e farei aparecer prodígios em cima no céu: e sinais em baixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes de chegar    o grande e glorioso Dia do Senhor”;
- Este sol que ia se converter em trevas era o evangelho.
- E a lua era a Igreja que se converteu num rio de sangue, antes de chegar o grande      e glorioso Dia do Senhor, que foi a destruição de Jerusalém, que foi por último.
Aí chegou o fim do evangelho de Cristo, se cumpriu o que Ele falou em Mt24: 14. Todos aqueles estrangeiros que ouviram a mensagem do evangelho transmitido pelo o Espírito Santo,      foram convertidos pela palavra de Deus, transmitida pelo próprio Espírito, e eles aonde chegavam anunciavam a palavra como eles tinha ouvidos, através do Espírito Santo.
Quando Paulo chegou a Efésio; e achou ali alguns discípulos e “disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando creste? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo”At19: 2.
- Veja que estas pessoas foram convertidas por quem não tinham conhecimento        da manifestação do Espírito Santo.
- Eles só tinham conhecimento do batismo de João.
Aí Paulo no verso seis e sete “E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam em línguas e profetizavam. Estes eram, ao todo, uns dozes varões”.
Obs.:
Veja em At19: 1-5 quando Paulo chegou a Efésio; achou ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando creste? E eles disseram-lhe nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo.
- Portanto se estes discípulos já estavam ali.
- Quem foi que levou o evangelho para eles se converterem, sem o conhecimento      do Espírito Santo?
- Porque Paulo tinha conhecimento do Espírito Santo, e todos os apóstolos.
- E estes receberam o evangelho sem conhecimento dos dons espirituais.
Então, Todos aqueles estrangeiros que ouviram a mensagem do Espírito Santo transmitida pelos os apóstolos no dia de pentecostes; foi gravada na mente deles, toda aquela mensagem.
E aonde eles chegavam, anunciavam a mensagem do evangelho, como eles ouviram. Em todo canto, engrandecendo a Deus. E muitos se convertiam sem conhecimento dos dons espirituais.
Foi quando Paulo disse para eles, já recebestes o Espírito Santo quando creste? Foi o que eles disseram-lhes; nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo.
O apóstolo São Paulo completou a obra na vida deles quando impôs as mãos sobre eles receberam o Espírito Santo.
Em At28: 11-15 quando Paulo ia preso para Roma depois que ele se recuperou                 do naufrago do navio ele chegou a um lugar por nome de putéoli, e achou ali alguns irmãos       e rogaram que Paulo ficasse com eles por sete dias. Eles ali viviam pela a fé pelo o que ouviram. Mas pela a história se vê que ali não existia ministro pastoral. Porque o império romano          era quem mandava em toda terra e a religiões eram romana.
Aqueles povos foram convertidos por mensagem que ouviram de pessoas que ouviram a mensagem dos apóstolos no dia de pentecostes. Foi os que aonde chegavam anunciavam     as virtudes de Deus. Porque Deus ia libera um povo que estavam no plano da salvação.
Foi por isso que ELE realizou aquela obra no dia de pentecostes, porque o tempo já estava cumprindo como Jesus falou em Mc1: 14-15 não dava tempo para os apóstolos pregar                o evangelho por todos aqueles países.
Então ELE usou o Espírito Santo para aquela finalidade. Porque Jerusalém no Plano          de Deus que ia ser destruída no ano setenta.
Quando o apóstolo Pedro se levantou e disse para todos quantos estavam vendo          o derramamento do Espírito Santo sobre eles e muitos pensavam que eles estavam embriagados. O apóstolo Pedro disse varões estes homens não estão embriagados como vós pensais, sendo a terceira hora do dia, mas isto é o que foi dito pelo o profeta Joel:
E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda carne. Se precisasse saber que últimos dias é este que ele ia derramar do seu Espírito sobre toda a carne.
Porque se estes últimos dias fosse o fim do mundo, como muitos pensam,                  não tem nenhum perdido: e nem ELE ia separa o joio do meio do trigo. Neste caso tudo era trigo. Não tinha nenhum perdido, finalmente fica esclarecido que este último dia era do evangelho, que eles estavam pregando por causa da destruição de Jerusalém que já estava escrito.
Quando ELE disse e farei aparecer prodígios em cima no céu: e sinais embaixo da terra, sangue, fogo e vapor de fumaça. O sol se converterá as trevas, e a lua em sangue antes            de chegar o grande dia e o glorioso dia do Senhor; o sol que ia se converter em trevas era          o evangelho como já foi dito, e a lua em sangue era a Igreja primitiva. Que foi destruída pelo     o império romano. E por último foi a destruição de Jerusalém.
Muitas religiões acreditam que 24 de São Mateus são a 2ª vinda de Jesus; é uma prova que estes líderes religiosos não têm sabedorias e nem o dom do Espírito Santo para entender as Escrituras; porque não tem nada haver a vinda de Jesus para reinar sobre o trono de Davi. Com 24 de São Mateus, que se refere sob a destruição de Jerusalém; veja do verso 15-34         se você for uma pessoa que tiver conhecimento da história dos Judeus, você vai compreender o que Jesus estava falando que era o destino daquela geração Judaica daquela época.
Veja que estava profetizado:
*Por Isaías no Cap.6: 9-13 quando Deus disse para Isaías.
Então disse ele: vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis,             e vedes, em verdade, mas, não percebeis. Engorda o coração deste povo,           e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; não venha ele a ver com os seus olhos, e a ouvir com os seus ouvidos, e a entender com o seu coração,         e a converter-se, e a ser sarado. Então disse eu: até quando, Senhor?                   E respondeu: Até quando se assolem as cidades, e fiquem sem habitantes,         e nas casas não fique morador, e a terra seja assolada de todo. E o SENHOR afaste dela os homens, e, no meio da terra, seja grande o desamparo. Mas,     se ainda a décima parte dela ficar, tornará a ser pastada; como o carvalho,       e como a azinheira, que, depois de se desfolharem, ainda ficam firmes,       assim a santa semente será a firmeza dela”.
*por Daniel também profetizou a respeito da destruição de Jerusalém. Dn9: 24-27
Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressões, e dar fim aos pecados, e para expiar       a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos santos. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar       e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas e sessenta duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos. E, depois das sessenta e duas semanas, será tirado o Messias,        e não será mais; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade                e o santuário, e o seu fim será como uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas assolações. E ele firmará um concerto com muitos por uma semana; e, na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta    de manjares; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até             a consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador”.
*outra profecia de Ezequiel 4: 6-8.
E, quando cumprires estes, tornar-te-ás a deitar sobre o teu lado direito            e levarás a maldade da casa de Judá quarenta dias; um dia te dei por cada ano. Dirigirás, pois, o teu rosto para o cerco de Jerusalém com o teu braço descoberto e profetizarás contra ela. E eis que porei sobre ti cordas; assim,      tu não te voltarás de um lado para outro, até que cumpras os dias do teu cerco”.
Obs.:
Dentro do ministério profético, cada dia vale por um ano. Quando Daniel disse na sua profecia, setenta semanas determinadas estão sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade,               estes setentas semanas, dentro da profecia dá 490 dias e sete semanas dá 49 dias, e sessenta   e duas semanas dá 434. Então segundo a profecia de Daniel para se cumprir o que Jesus falou em 24 de São Mateus e o verso 15 tem que dá este número para destruição de Jerusalém        no ano 70. 973 anos.
Voltando aos detalhes, agora na seqüência, Mt24: 15-28.
Em Mt24: 15-16. Ele disse “Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo (quem lê atenda), então, os que estiverem na Judéia, que fujam para os montes”;
Se fosse a vinda de Jesus como muita religiões dizem, Jesus tinha mandado o povo fugir para  os montes (talvez Jesus quisesse pegar no laço). E ele disse ai das grávidas, e das que amamentarem naqueles dias (seria as primeiras a ser pegue).
Mas é assim a vinda de Jesus?
- Este povo cego, ainda está muito longe para o conhecimento das escrituras.
- Quando ele disse ai das grávidas e das que amamenta naqueles dias é porque uma mulher grávida não podia correr como a que está amamentando também.
- Jesus estava falando da destruição de Jerusalém e não da vinda física dele,             para se assentar no trono de Davi como o anjo anunciou a Maria em Lc1: 31-33.
Em Mt24: 20-22 “E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado, porque haverá, estão, grande aflição, como nunca houve desde o principio      de mundo até agora, nem tampouco haverá jamais. E se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos escolhidos, serão abreviados aqueles dias”.
 Estes dias abreviados foi quando o general Tito invadiu a cidade de Jerusalém em 66  já tinham iniciado a guerra.
 Mas os Bárbaros invadiram Roma com a saída de Tito.
 Nero não podendo resistir aos Bárbaros suicidou-se.
 Aí o general Tito afastou todo exército de Jerusalém para socorrer Roma,               neste intervalo todos os santos fugiram de Jerusalém, isto já foi no ano 67.
 Quando o general Tito assumiu o lugar de Nero como imperador Romano, ungiu o seu filho como general, o qual tinha o mesmo nome do pai, se chamava                  Tito também.
 No ano 70 quando ele invadiu Jerusalém e fez a destruição dela.
 Para se cumprir o que Isaías falou no cap6: 9-13 e o que Daniel falou no cap.9: 24-27.
Em Mt24: 27-28. Observe esta frase que Jesus falou, quando ele disse “Porque, assim como  um relâmpago sai do oriente e se mostra até no ocidente, assim será também  a vinda do filho do homem. Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão            as águias”.
- Vê-se que esta vinda dele aqui, não é para se assentar no trono de Davi como foi dito pelo anjo quando anunciou o nascimento dele a Maria sua mãe.
Em Jo3: 17 ele disse “Porque Deus enviou o seu filho ao mundo não para que condenasse        o mundo, mas que o mundo, fosse salvo por ele”.
Veja em Jo12: 47-48 Jesus disse “E, se alguém ouvir as minhas palavras e não crer, eu não        o julgo, porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem me rejeitar a mim e não receber as minhas palavras, já tem quem            o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia”.
- Este último dia era o fim daquela nação Judaica com a demolição (destruição)           da cidade.
Foi que Jesus falou para os Judeus em Mt23: 37-38. Quando ele disse
Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados!  Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste! Eis que a vossa casa vos ficará deserta”.
- Era a vinda de Jesus, como um relâmpago, ou era a destruição de Jerusalém pelo       o general romano?
- Se esta vinda dele fosse como um relâmpago, como era os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos de uma a outra extremidade dos céus.
Este sinal dele que ia aparecer no céu: era o cumprimento das suas palavras. Quando ele falou para o povo em Jerusalém dizendo que as casa deles iam ficar desertas, e o povo nem davam ouvidos, mas na hora do aperto com Jerusalém cercada com o exército Romano, que nada entrava e nem saia. O general Tito, ordenou represálias contra os esfomeados e os trânsfugas que surgissem no acampamento. Portanto quem quer que seja, fosse apanhado fora dos muros trânsfuga, vagabundos ou forrageador seria pregado na cruz. Diariamente os soldados pregavam na cruz cerca de quinhentos deles junto da cidade, pouco a pouco foi surgindo        em volta, nas encostas das colinas, uma verdadeira floresta de cruz. Chegou até que a falta     de madeira, e foram obrigados a suspender o horripilante suplício. Uma após outras árvores foram derrubada, caindo para fazer cruzes, rampas de assédio, escadas de assalto ou fogueiras no acampamento.
Quando os romanos chegaram, encontraram uma região florescente; algum tempo depois haviam desaparecido as vinhas, as plantações de hortaliças; e a riqueza em figueiras       e oliveiras; nem mesmo o monte não dava mais sombra. Através da região desolada e nua, pairava um fétido insuportável. Junto das muralhas amontoavam-se aos milhares os cadáveres dos que tinham morrido da fome e dos guerreiros caídos em combate. Jogados dos parapeitos pelos sitiados. Quem poderia sepultá-los segundo o costume antigo?
Tito ordenou a construção de uma circunvagar revezando-se de dia e de noite,            as tropas construíram, num vasto arco em redor de Jerusalém, um alto e forte muro de terra, reforçado por 13 construções fortificadas e vigiadas por uma espécie cadeia de postos,             se até então os sitiados ainda podiam, durante a noite, furtivamente, através de túneis               e fossos, levar alguma provisões para a cidade, a circulação impediu também esse último           e escasso reabastecimento. O espectro da fome apoderou-se da cidade super populosa pelos peregrinos; a morte fazia uma colheita terrível. A ânsia de comer fosse o que fosse                  não conhecia mais limites, matava qualquer outro sentimento humano.
A fome cada vez mais insuportável aniquilava famílias inteiras entre o povo,                 os terraços estavam cheios de crianças e mulheres desfalecidas, as ruas juncadas de velhos mortos, crianças e jovens, cambaleantes, erravam como fantasmas pela cidade até que caiam tão esgotados estavam que não podiam mais enterrar ninguém e caiam sobre os próprios mortos ao enterrá-los.
A miséria era indizível e se apenas surgisse em algum lugar à simples sugestão             de qualquer coisa comestível, começava logo uma luta para apoderar-se dela, e os melhores amigos lutavam entre si, arrancavam uns aos outros as coisas mais miseráveis.                Ninguém acreditava que os moribundos não tivessem algum alimento.
Os ladrões se atiravam aos que jaziam nas últimas e revistavam-lhes as roupas.       Esses ladrões andavam de um lado para o outro batendo as portas das casas como ébrios.      Em seu desespero batia freqüentemente duas ou três vezes num dia a mesma porta. Sua fome era tão insuportável que os forçava a mastigarem tudo o que encontravam. Apanhavam coisas que nem mesmo os animais comuns nem se quer tocavam e muito menos comiam. Havia muito que tinham começado a roer seus cinturões e sapatos e até mesmo o couro dos casacos. Muitos até feno velho comiam, e havia outros que reuniam talos de erva e vendiam                 um insignificante peso dela por quatro dracmas áticas.
Os zelotes percorriam as ruas em busca de alimento. Se de uma casa saia cheiro         de carne assada, os homens penetravam imediatamente na casa e pararam diante de Maria, filha da nobre família bet-ezob, que era extraordinariamente rica da Jordânia Oriental.       Maria tinha ido como peregrina a Jerusalém para a festa da páscoa, os Zelotes ameaçaram-na de morte se não lhes entregasse o assado. Perturbada a mulher estendeu-lhe o que lhe pediam, e eles viram petrificados, que era um recém-nascido meio devorado o próprio filho de Maria. Não tardou que toda a cidade soubesse do caso; mais ainda, a notícia transpôs os muros            e chegou ao acampamento romano. Tito jurou que cobriria essa ação infame com as ruínas     de toda cidade.
Muitos fugiam a morte pela fome a coberto da escuridão e iam sofre sorte igualmente terrível nas mãos do exército, entre as tropas auxiliares espalhar-se-á o rumor de que os fugitivos sempre levavam consigo ouro e pedras preciosas, que engoliam na esperança de que não caíssem em poder dos estrangeiros. Apanhados, os fugitivos eram mortos sem saber por que os indivíduos ávidos abriam-lhes o corpo, assim encontraram a morte de dois mil só numa noite. Tito ficou enfurecido; sem piedade mandou a sua cavalaria matar toda uma unidade de tropas auxiliares e uma ordem do dia estabeleceu a pena de morte para esse crime. Mas não adiantou muito; a chacina continuou secretamente.
- Veja que aquela vinda de Jesus em Mt24: 27-28 foi o juízo dos Judeus.
- Em cumprimento de sua palavra e não ele fisicamente.
- Porque a palavra de Jesus representava a sua pessoa.
De dia e de noite, entretanto, os aríetes martelavam no arrabalde de Jerusalém,         eram aplicadas novas rampas de assalto Tito ungia os seus homens. Queria terminar com o pesadelo o mais depressa possível.
No princípio de Julho seus soldados tomaram de assalto a Antônia. O castelo em cujo Lithóstrotos (1) fora sentenciado Jesus de Nazaré foi arrancado até aos alicerceis seus muros confinavam com a parede norte do templo.
Chegaram à vez do conjunto templo, aquela poderosa e fortíssima construção,              com galerias, balaustrado e os pátios, o comandante supremo reuniu em conselho seus oficiais, muitos eram de opinião que o templo devia ser tratado como uma fortaleza, Tito foi contra, ele queria fazer tudo o possível para poupar o famoso santuário, conhecido em todo o império romano, por meio de arautos propôs aos sitiados se renderem sem combate,                 a respostas foi negativa só então Tito dirigiu seus assaltos contra o sagrado recinto.
Uma saraivada de pedras pesadas e uma chuva incessante de flechas começaram a cair sobre os pátios, os Judeus lutavam como possessos e não cediam, confiavam em que último momento Jeová acorreria em seu auxilio e salvaria o santuário. Mais uma vez os legionários, servindo-se de escadas, galgaram as muralhas. Outras tantas formas, repelidos. As catapultas e os aríetes revelaram-se impotentes contra os muros era impossível demolir aqueles blocos enormes de cantaria assente no templo de Herodes. Para forçar uma entrada. Tito mandou incendiar as portas de madeiras do templo.
Apenas as portas ficaram queimadas, e deu instruções para que as chamas fossem apagadas a fim de abrir passagem para o assalto dos legionários, a ordem de Tito para o ataque dizia que poupassem o santuário, mas o fogo durante a noite havia chegado até ao peristilo,     e os romanos tiveram de concentrar todos os esforços na tarefa de apagar as chamas,               os sitiados aproveitaram esse momento propício para um ataque violento, no inesperado combate os legionários, repeliam os Judeus, fizeram-nos retroceder e perseguiram-nos através dos pátios, no tumulto selvagem que se estabeleceu os combatentes incendiaram o santuário, exercitado e exaltado, um soldado apanhou uma tocha, sem esperar qualquer ordem e sem se horrorizar com o seu ato, ou antes, impelido por algum demônio, e, levada por um camarada jogou o fogo através da janela dourada que dava para as câmaras contiguas ao sacrário.
Estas câmaras eram revestidas de madeira velha e continham juntamente com substancias facilmente inflamáveis recipientes com óleo bento, a chama das tochas encontrou imediatamente rico alimento. Tito viu as chamas subirem e tentou impedir a propagação do incêndio.
Então César deu ordem de apagar o incêndio gritando para os soldados que combatiam e, ao mesmo tempo, fazendo sinal com a mão direita, mas os soldados não ouviram. O que ele dizia, embora ele gritasse bem alto... E como César não estava em condições de refrear o furor dos soldados e o fogo avançava cada vez mais, foi com seus comandantes ao sagrado recinto do templo ver o que havia... As chamas ainda não haviam atingido as câmaras internas,      tendo consumido somente as exteriores em redor da casa santa, com efeito, Tito compreendeu que o templo propriamente dito ainda podia ser salvo, e fez todo o possível para persuadir      os soldados a pagarem as chamas, dando ordem ao centurião liberalius e a dos membros da sua guarda pessoal para que açoitassem com paus os soldados, e os refreassem. Mas por maior que fosse o seu entusiasmo por César e o medo que tinham de desobedecer-lhe, o seu ódio aos Judeus e a sua vontade de lutar contra eles eram igualmente grande, além disso,        muitos eram impelidos pela esperança de saque, vendo que tudo em seu redor era de ouro puro, pensavam que muitas daquelas câmaras interiores estavam cheias de ouro... E assim queimaram todo o templo sem o consentimento de César.
Em agosto do ano setenta os legionários romanos implantaram suas insígnias no recinto sagrado dos Judeus e sacrificaram nele. Embora metade de Jerusalém estivesse nas mãos do inimigo, embora, fatidicamente, coluna de fumaça negra subissem do templo em chamas,      os zelotes não se entregaram.
João de Gischala escapou com uma grande multidão do recito do templo para cidade alta, na colina ocidental, outros fugiram para o palácio de Herodes, com suas torres fortes. De novo os sapadores, a artilharia e as máquinas de demolição de Toto puseram em ação a sua brilhante técnica de assédio. Em setembro também esses muros foram abatidos, foi conquistado              o último baluarte. A resistência estava definitivamente vencida.
Assassinado e saqueando, os vencedores tomaram posse da cidade que lhes opusera resistência tenaz e escarnecida e que tanto sangue, e tempo lhe havia custado. César ordenou que toda a cidade e o templo fossem arrasados. Deixou apenas de pé as torres da cidade e        o templo fossem arrasados. Deixou apenas de pé as torres fasael, hípico e Mariame e uma parte do muro da cidade no lado ocidental.
As torres foram utilizadas como a loja para a guarnição que aí ficou.
A legião que permaneceu sessenta longos anos guarnecendo aquele lugar desolado usava a insígnia “leg xf”, que significava “legio X. fretenis”. O seu posto na pátria era fretum síciliense, a “via de Sicília”. Eles deixaram ali e por toda Jerusalém milhares de sinais de sua presença.   Até hoje jardineiros e lavradores continuam encontrando na terra de vez em quando,  pequenos quadros de barro com o número da legião e os emblemas da galeria e do Javali
As perdas dos Judeus foram incalculavelmente elevadas durante o sitio encontravam-se na cidade, segundo os dados de Tácito, 600.000 pessoas Flávio Josfo dá o número de 97.000 prisioneiros; não incluídos os crucificados e chacinados, e acrescenta que só por uma porta foram retirados no espaço de três meses 115.800 cadáveres de Judeus.
No ano 71 Tito mostrou aos romanos a grandeza de sua vitória sobre Jerusalém com um imenso desfile triunfal. Entre os 700 prisioneiros que faziam parte do cortejo encontravam-se a ferros João de Gischala e Simão Bar giora. Com grandes manifestações de júbilo eram conduzidos também dois despojos preciosos, de ouro puro ___ O Candelabro de sete braços     e a mesma de exposição do pão do templo de Jerusalém foram depositados em outro sagrado ___ O Templo da paz em Roma. Esses dois objetos de culto ainda se podem ver no grandioso arco de Tito, erigido para comemorar essa campanha vitoriosa.
Sobre as Ruínas desoladas e sem esperança, onde nem os Judeus nem os Adeptos de Cristo podiam, o imperador Adriano (1) construiu uma nova colônia Romana; Aelia Capitolina.  A vista duma colônia estrangeira no solo sagrado dos Judeus deu motivo a uma nova rebelião. Júlio Severo foi chamado ajuda de seu comandante na Bretanha e sufocou uma campanha que duraram três anos, a última tentativa desesperada feita pelos Judeus para reconquistarem        a liberdade. O imperador Adriano mandou construir ali mais um hipódromo, duas casas           de banhos e um grande teatro. Sobre as massas de entulho do santuário Judeu erguiam-se, como por escárnio, um monumento de Júpiter, e no lugar onde, segundo a tradição Cristã,       se encontrava o túmulo de Cristo, peregrinos de terras estrangeiras subiam os degraus             do terraço que conduziam ao santuário duma divindade pagã, deusa Vênus!
A maior parte da população da terra prometida que não morreu na sangrenta guerra dos Judeus de 66 a 70 ou no levante de Bar-kochba de 132 á 135 foi vendida como escrava;            “e cairão ao fio da espada, e serão levados cativos a todas as nações”.
Dos anos posteriores a70 os arqueólogos não encontraram na palestina mais nada que indicasse uma construção de Israel, nem mesmo uma lápide tumular com uma inscrição Judaica. As sinagogas foram demolidas e até da casa de Deus da tranqüila cafarnaum ficaram apenas ruínas. A mão implacável do destino riscará o nome de Israel do concerto dos povos.
- Mas a doutrina de Jesus, unificadora e revitalizante, tinham a muito iniciado sua marcha vitoriosa e irresistível através do mundo.
- Aqui está provado tudo quanto Jesus falou em 24 de São Mateus.
- Aqui foi o cumprimento de tudo que Jesus falou a respeito da destruição                    de Jerusalém.
- Tudo se cumpriu como Ele falou.
Muitas religiões confirmam que Jesus falou neste capitulo de São Mateus que é a vinda Dele para arrebatá-los para o céu.
- Mas quem pensar desta maneira está dormindo com as Escrituras nas mãos.

- Está totalmente desnorteados dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário